newsgames - teoria dei games come notízie Blog do NewsGames Blog dos NewsGames: Resultados da pesquisa artigo Blog of the NewsGames
Busca
logo_news
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta artigo. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta artigo. Classificar por data Mostrar todas as postagens

9 de março de 2012

Webinsider do UOL publica artigo newsgames como jornalismo independente


Atualizado às 18h57 - 09/02 (Treviso-Itália)
O site Webinsider, do Portal UOL, publica artigo de capa sobre os games baseados em informação e notícia. Intitulado Newsgames, um modelo de jornalismo independente, o artigo é assinado pela dupla de jornalistas Luciene Santos e Geraldo Seabra, autores do recém-lançado e-book Do Odyssey 100 aos NewsGames – Uma Genealogia dos Games como Informação. No transcorrer do texto, os jornalistas usam o newsgame Fuga da Vila Cruzeiro para ilustrar o uso da notícia como base informativa do jogo. Embora de design e narrativa simples, o game reporta de forma crítica a maior ofensiva da história do Brasil contra narcotraficantes do Rio de Janeiro. A maior parte dos NewsGames – inclusive nos Estados Unidos onde o formato é mais difundido – funciona apenas como uma forma alternativa de publicação e consumo de notícia. Na proposta desenvolvida pelos dois pesquisadores brasileiros, a plataforma dos NewsGames trabalharia os três pilares da notícia: produção, publicação e consumo. Para subsistir como um novo modelo de jornalismo independente, os newsgames precisariam usar a base informativa dos dois lados da cultural de massa: apocalípticos e integrados. Ou seja, de quem ganha vendendo informação e de quem usa as redes sociais como forma de emular informação crítica sobre o universo econômico, político e social, com objetivo de promover mudanças no mundo real. O Webinsider é um dos principais sites de artigos e conteúdo analítico sobre marketing, negócios, criação e conteúdo online. Também é reconhecido pela publicação de artigos que valorizam o debate e o aprendizado na internet.

6 de julho de 2009

Artigo científico demarca os newsgames como modelo de Jornalismo Online


O artigo científico publicado por Geraldo Seabra demarca o surgimento dos NewsGames como um novo modelo de Jornalismo Online, através de uma base investigativa que busca relacioná-lo com funções do Webjornalismo, apontadas por Marcos Palacios (2003). A simples associação das características do Webjornalismo às funções do NewsGames sedimenta um longo período de pesquisa, iniciado em 2003, que fundamenta a lógica presente nas diferentes formas de produção, circulação e consumo de notícias na Web. Classificado como NewsGames por alguns especialistas como Frasca (2003), Seabra (2007), Andrade (2008), esse novo estilo mantêm uma relação de intimidade com diversas funções do jornalismo ao relacioná-lo a notícias ou acontecimentos em tempo real na sua modalidade online e com respectivos ambientes eletrônicos participativos (Andrade, 2008). Nas experiências do designer em neswgames, Ian Bogost , a notícia também é base narrativa de tramas de games on-line. Esse novo modelo de Jornalismo Online apropria-se da ludo-informação para dar origem ao que classificamos de Jornalismo 4.0. Ou seja, a produção, a circulação e o consumo de notícia por meios lúdicos de comunicação, única função que o diferencia das características do Webjornalismo, postuladas por Palacios (2003). Como os videogames abrigam todas as linguagens humanas, consideramos que os newsgames podem funcionar como um emulador autêntico de notícias. Assim, o Jornalismo ressurge como um campo propício para esse tipo de investigação, uma vez que, desde o Iluminismo , essa narrativa se revela um dos modos mais legítimos de compreender e atuar sobre a realidade que nos cerca. É uma pequena mudança de paradigma, mas que deve fortalecer os que defendem que as marcas individuais jornalísticas devam ser mais importantes que as marcas das empresas jornalísticas.

6 de novembro de 2008

Artigo traça linha do tempo pela história dos games


Artigo científico traça uma linha do tempo pela história dos videogames a partir da perspectiva dos games como emuladores de informação. Partindo dos jogos do Odyssey 100, passando pelo Atari, PlayStation, Nintendo, Xbox 360 até a Era dos NewsGames.

19 de fevereiro de 2009

Games são bons para ensinar crianças competências para uso cotidiano


Os videogames são ótimos suportes para ensinar crianças habilidades e competências essenciais para uso em sua vida cotidiana. Essa é a conclusão de um relatório da Comissão do Mercado Interno e Proteção dos Consumidores do Parlamento Europeu. O relatório reforça a teoria dos games como informação do professor Geraldo Seabra (artigo extraído de sua pesquisa de dissertação de mestrado), segundo a qual os games emulam informação para uso cotidiano e profissional. Segundo o estudo da UE, os games podem estimular a aprendizagem de fatos e de competências, tais como pensamento estratégico, criatividade, cooperação e pensamento inovador, que são habilidades importantes na sociedade da informação. Contrariamente aos receios sobre a reputação de alguns jogos violentos, não há nenhuma prova de que haja uma reprodução automática que cause impactos negativos sobre o comportamento infantil, causando agressão, por exemplo.

26 de novembro de 2008

Pod 32 anuncia arauto da convergência de custos


As empresas ainda não adotam a convergência total apesar de a tecnologia digital permitir a convergência de mídias, tecnologias e custos. Embora o mercado de telecomunicações use o conceito de assinatura triple-play (Internet, TV a cabo e voz), isso ainda é muito pouco segundo o artigo Quinto Iconoclasmo. Acesse a versão escrita em Inglês e Português.

29 de maio de 2008

NewsGames - games como emuladores de notícia: uma proposta de modelo de jornalismo on-line

O conteúdo deste artigo é baseado em pesquisa de mestrado e aborda os suportes dos games como emuladores de informação, instituindo uma nova proposta de modelo de Jornalismo Online.

23 de maio de 2008

Games como emuladores de informação, aprendizagem e cognição pós-humana

O conteúdo deste artigo é baseado em dissertação de mestrado. Nele, os games são encarados como emuladores de informação, aprendizagem e propulsão cognitiva para o advento do homem pós-humano.